22 de agosto de 2016

JÁ ASSISTIU Stranger Things?

Stranger Things, a série que algumas pessoas estão chamando de "A Série da Minha Vida", que vem movimentando até hoje site, blogs e grupos de amigos, sejam grupos online nas redes sociais ou whatsapp, é mais uma série produzida pelo Netflix que muito provavelmente ninguém sabia que estava sendo feita até a sua estreia e que do nada se tornou algo maior que o esperado até pelo próprio site de streaming (podem falar o que quiserem, duvido que esperavam essa resposta do público), mesmo que já não se surpreendam com suas produções tendo esse resultado, vide House Of Cards, Orange Is The New Black, Demolidor e mais algumas outras produções deles.

Mas como eu gosto de falar para meus amigos, eu não costumo usar críticas alheias como base para as minhas, eu leio quase todas e ouço a opinião de todos que conheço, mas só formo a minha opinião sobre um filme ou série depois de assisti-la, principalmente se é algo que está com um hype muito lá em cima ou se está sendo massacrado pela crítica "especializada".

Entre no post completo e leia o que achei desta série.

A sinopse é a seguinte: "Ambientada no ano de 1983, Stranger Things se passa na cidade fictícia de Hawkins, Indiana, onde um garoto de 12 anos desapareceu sem deixar rastros. Enquanto procuram por respostas, a polícia local, a família e os amigos do menino acabam esbarrando em um extraordinário mistério envolvendo um experimento secreto do governo, forças sobrenaturais e uma garotinha muito estranha.", a série foi criada pelos irmãos gêmeos Matt e Ross Duffer (ou só Irmãos Duffer) e produção de Shawn Levy. O elenco é formado por Winona Ryder como Joyce Byers, David Harbour como o Delegado Jim Hopper, Matthew Modine como o Dr. Martin Brenner, Finn Wolfhard como Mike Wheeler, Millie Bobby Brown como Eleven (Onze na versão brasileira), Gaten Matarazzo como Dustin Henderson, Caleb McLaughlin como Lucas Sinclair, Charlie Heaton como Jonathan Byers, Natalia Dyer como Nancy Wheeler e Noah Schnapp como Will Byers.
Por ser ambientada nos anos 80, a série tem uma centena de referências à jogos, músicas, filmes e séries daquele época, muitas destas referências são das obras de Steven Spielberg, John Carpenter e Stephen King, que são muito legais de ver, pois por mais que tenham ocorrido no começo dos anos 80, grande parte dessas coisas levava muito tempo para chegar aqui no Brasil e outras eram constantemente repetidas por fazer pouco tempo que existia, então quem teve a infância e pré-adolescência nos anos 90, também vai se identificar ou reconhecer grande parte delas; o primeiro episódio abre com os amigos Dustin, Mike, Lucas e Will jogando Dungeons & Dragons (D&D) por exemplo, daí para frente toda a série é recheada dessas referências e elas vão aparecendo de forma natural, não são jogadas sem motivo apenas para te lembrar que a história se passa nos anos 80, essas referências estão no contexto da situação ou momento; a trilha sonora é sensacional, com músicas do The Clash, David Bowie e The Smiths.

Mas como eu digo sempre para os meus amigos, um filme ou série não se torna bom apenas por ter boas referências de coisas que temos um certo afeto, o que torna bom mesmo é a história apresentada e pode-se dizer que a história da série é boa e bem apresentada, tem um excelente desenvolvimento dos personagens, o contexto cientifico da Teoria das Cordas é muito bem apresentado e simplificado, mas o que peca nessa história é uma das coisas que a deixam boa, as referências, pois após ver toda a série o sentimento que ficou foi de "ah, mas eu já vi isso tudo uma centena de vezes" e eu acho que séries não podem apenas se basear e ficar reaproveitando formula de coisas que já deram certo, ainda mais formulas de filmes de sucesso, filmes é que não tem tempo ou espaço para ficar criando novas formulas, agora uma série tem que apresentar algo novo, pois por mais que tenha poucos capítulos, tem mais espaço e tempo para arriscar na novidade, mesmo que esse novo pareça algo dos anos 80/90 ou da idade da pedra.

Agora o que mais surpreendeu mesmo na série foi a atriz Millie Bobby Brown, que fez a garota estranha da história, é incrível a interpretação dessa menina de 12 anos, mandou bem demais, muito melhor que os atores velhacos do elenco e que já atuam à muitos anos; outra também que fez um bom trabalho foi a atriz Winona Ryder, que eu jurava que tinha se aposentado da vida de artista depois dos problemas pessoais dela e de passar algumas vezes por algumas delegacias de polícia para tirar um cochilo.

Qual é a mensagem?
Enfim, a série é boa sim, mas não é o último pacote de Passa-Tempo do mundo como muitas pessoas tem dito por ai, talvez seja uma das melhores novas séries apresentadas neste ano, coisa que não é muito difícil conseguir né? Porque convenhamos, o que mais de bom saiu este ano de novo e que foi bom? Que eu curti de novidade foi só a série do Preacher, no restante só as boas séries que vem de anos anteriores. Mas se você gosta das músicas dos anos 80, ficção cientifica, um pouco de suspense e de momentos nostálgicos, essa é a sua série, bom, na verdade acho que todo mundo deve assisti-la, e como digo sempre, esta é a minha opinião, vá e assista, não se deixe levar pela opinião de outras pessoas, mesmo que digam para você que é a melhor ou a pior coisa do mundo, tire as suas próprias conclusões.

3 comentários :

  1. Cara, o hype é tanto nessa série que me dá até preguiça de assistir e eu achar uma bela porcaria...

    ResponderExcluir
  2. Série fraca. Acho que é mais propaganda do que qualidade.

    ResponderExcluir
  3. Série fraca. Acho que é mais propaganda do que qualidade.

    ResponderExcluir