24 de maio de 2016

FUI VER X-Men: Apocalipse

Lá se vão 16 anos de filmes dos X-Men e não teve um deles que conseguiu adaptar direito uma história ruins dos mutantes para as telas, muito menos as boas e não foi por falta de tentativa, então dá para se dizer que é mesmo apenas baseado naquele universo, uma pena, porque eu acho que depois do Universo do Homem-Aranha, o universo mutante é o que tem as melhores histórias da Casa das Ideias, com boas mensagens e lições.

Só dos X-Men são 6 filmes, contando com o Apocalipse, 2 filmes terríveis do Wolverine e o ótimo filme do Deadpool, 16 anos e 9 filmes ao todo, triste ter apenas um grande acerto, não digo que todos os outros são um total desperdício, mas é triste ver que sai diretor, roteiristas e produtores e entra toda uma equipe nova e continuam a não seguir um padrão, bom padrão tem, o padrão Fox de fazer filmes baseados e não adaptados, ou seria só inspirados mesmo?

Enfim, acesse o post completo e leia sobre o que achei (acho que está meio óbvio!) do 6° filme dos Filhos do Átomo, X-Men: Apocalipse.

Eu normalmente separo faço um texto separando a parte com spoilers e a outra parte sem spoilers, mas dessa vez não vai ter como, então tá vamos lá.

SINOPSE:
"Desde o início da civilização, ele era adorado como um deus. En Sabah Nur (Oscar Isaac), o primeiro e mais poderoso mutante, acumulou os poderes de muitos outros mutantes, tornando-se imortal e invencível. Ao acordar depois de milhares de anos, ele está desiludido com o mundo em que se encontra e seleciona quatro Cavaleiros nas figuras de Magneto (Michael Fassbender), Psylocke (Olivia Munn), Anjo (Ben Hardy) e Tempestade (Alexandra Shipp), para purificar a humanidade e criar uma nova ordem mundial, sobre a qual ele reinará. Como o destino da Terra está na balança, Mística (Jennifer Lawrence), com a ajuda do Professor Xavier (James McAvoy) deve levar uma equipe de jovens X-Men para parar o seu maior inimigo e salvar a humanidade da destruição completa."

Olha, eu acredito que hoje em dia só temos tantos filmes de super-heróis nos cinemas graças à 3 filmes, que são Blade (1998) de Stephen Norrington, o Homem-Aranha (2002) de Sam Raimi e o X-Men (2000) do diretor e produtor Bryan Singer, pois do meu ponto de vista foram esses 3 filmes que começaram a pavimentar novamente a estrada por onde todos os filmes de heróis de hoje em dia transitam, mesmo que naquela época alguns deles não tenham sido muito fiéis ao material original e as histórias em quadrinhos, foram bons filmes e que fizeram grande sucesso. Singer por sinal, dos 6 filmes dos X-Men até hoje feitos, dirigiu os dois primeiros, saiu por um tempo e voltou à cadeira de diretor no 5° filme, o Dias de Um Futuro Esquecido (2014), e agora dirige o 6° dessa franquia iniciada por ele, X-Men: Apocalipse, acredito que com o 4° filme no currículo já está mais que na hora da Fox dar liberdade para Singer seguir o seu caminho com outras produções e deixar de lado os Filhos do Átomo, pois por mais que diga ser fã dos quadrinhos dos mutantes, ele nunca conseguiu adaptar mesmo os personagens para os cinemas, só fez um universo e personagens inspirados neles, o que, como já disse antes, é triste, pois não é que os x-man não tenham boas histórias ou bons personagens, muito pelo contrário, é apenas porque a visão que ele tem dos personagens é essa ou é como a Fox dita como devem ser feitos os filmes, mas acredito que seja um pouco dos dois, mas principalmente culpa da detentora dos direitos de produção dos filmes.

Não sei é por falta de liberdade criativa ou porque deve ter algum engravatado ditando como as coisas devem ser feitas e como as histórias devem acontecer, só sei que é uma zona a cronologia do universo criado nos cinemas, é tanto erro de continuidade que quando fizeram o Primeira Classe e o Dias de Um Futuro Esquecido, foi dito que com esses filmes a cronologia seria acertada e que agora o público poderia entender melhor a coisa toda, bom ai que está o problema o “foi dito” ficou apenas nas palavras, porque a tal da cronologia continua uma bagunça e nada foi resolvido, sei lá viu, as vezes fico com a impressão que os roteiristas hora que começam a escrever o filme seguinte, se esquecem de alguns fatos ocorridos, ai em vez de voltarem a assistir os filmes anteriores, simples seguem em frente, afinal, povo nem percebe essas coisas mesmo, então toca o barco meu filho e foda-se a racionalidade e continuidade de história, coloca uma cena cheia de ação e efeitos especiais e tá tudo bem.

Pois bem, é com essa impressão que fiquei ao assistir esse X-Men: Apocalipse, que apenas foram tocando a história com um monte de cenas cheias de efeitos especiais e que teoricamente deveriam ser empolgantes, bom, na parte de empolgante falham miseravelmente, na parte de efeitos especiais, pelo menos nisso acertam na maioria dos momentos, só que um filme não se sustenta apenas com cenas “massa véio”; a não ser que você seja alguém que leva ao pé da letra o lema de “filme para desligar o cérebro e se divertir”, ai você não liga para a história mesmo; cara, é tanta coisa avulsa, sem sentido ou explicação que é de assustar, “ah Bruno, é um filme de super-heróis, tem gente que é azul (e como tem), solta raio pelos olhos e um cara tem asas, você tá não está pedindo demais?”, não, não estou.

Aviso importante, daqui para frente é uma chuva de spoiler, então se você é spoilerfóbico e não assistiu ao filme ainda, continue por sua conta e risco, esteja avisado. Pronto?

Warren Worthington III/Anjo (Arcanjo) – Morre / Alex Summers/Destructor – Morre / Apocalipse – Morre / Cabelo do Xavier - Morre.
Foi avisado... rsrsrs

CLIQUE PARA AMPLIAR
Nem falei que no filme ele parece
o Ivan Ooze, 
Por mais sem base na realidade que o filme seja, ele precisa ter um sentido, uma lógica para aquele universo apresentado no filme, esse não tem, um exemplo disso é a máquina que o En Sabah Nur usa para transferir toda a sua consciência e poderes para outro corpo, é uma tecnologia extremamente avançada e o começo se passa no Egito Antigo, ou seja, 3.600 anos atrás, eu sei pelos quadrinhos que é uma tecnologia extraterrestre, mas no filme não explica nada, apenas está lá; Moira MacTaggert, totalmente irrelevante para a história do filme, se fosse o Pinóquio ou Chapolin Colorado estivessem no lugar dela não faria diferença e ela só faz merda, ela quem acorda o Apocalipse, e que por sinal também não se explica porque caralhos ela está investigando uma seita que venera En Sabah Nur; no final de X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido deixa duas coisas certas, primeira é que finalmente Magneto se assume como o cara mal e Mística de alguma forma captura o Wolverine e assume o lugar do Coronel Willian Striker, então ai nesse filme mostra o Magneto, escondido na Europa, se passando por outra pessoa, com uma família e esconde de todo mundo quem ele é, ai a família dele é morta e ele volta a ficar em conflito de se é o cara do mal ou o cara do bem, pqp mano, 3 filmes dessa mesma ladainha; situação da Mística, depois da Mansão Xavier ser destruída mais uma vez (Deadpool como sempre, está certo. rsrs), Willian Striker aparece parece para capturar Mercurio, Fera, Moira e MISTICA, para leva-los até a base do programa Arma X (já falo disso), meu, que inferno, esses roteiristas poderiam assistir os filmes anteriores antes de começar a escrever o roteiro do filme seguinte, acho que ai não daria essas merdas de erros de continuidade e quem sabe assim a cronologia dessa franquia ficasse certa. Tem mais uma pancada de coisa idiota, Psylocke se une ao Apocalipse apenas porque quis e ela não tem poderes psíquicos; o visual do vilão é idiota demais, ainda mais depois de ver o design rejeito pela Fox dele que era praticamente fiel aos quadrinhos, os poderes dele estão exagerados demais e acho que os roteiristas só se tocaram desse problema hora na que começaram a filmar; ai para resolver o furo, empurram de novo a Fênix na história e pelo visto vão cagar nela de novo como sendo uma evolução dos poderes da Jean, não como uma entidade extraterrestre; nossa, parágrafo já está muito grande e tem mais uma pancada de coisa que daria para falar mal.
Cena final do filme, puro fanservice e discurso merda da lider (aff...) Mística.
Só mais uma coisa, o que me incomoda demais desde o Primeira Classe, é o fato da Mística ser do bem e neste filme ser definitivamente colocada como uma heroína e líder dos x-man, a cena que fecha o filme só tem uma coisa boa, o fanservice dos uniformes da equipe que lembram os do desenho dos anos 90 que passava na TV Colosso, porque no resto é uma bosta, tem uma Mística bancando a general da coisa toda e começando o treinamento dos alunos na Sala de Perigo; outra coisa que é chata é que pela terceira vez, ela só aceita a aparência azul dela faltando 15 minutos para acabar o filme, acho que em 2 horas e 30 de filme, ela só aparece com o visual azul apenas umas duas ou três vezes, tudo bem que a Jennifer Lawrence é uma atriz premiada com Oscar, é a mais famosa do elenco, mas meu, a personagem é azul carai e só disfarça nos momentos de necessidade e ela não anda pelada o tempo todo como nos filmes anteriores. rsrs

ARMA X, quase isso no filme,
mas da para ver o rosto do
ator, é claro.
Então deixa eu falar o que gostei no filme, que foram apenas duas coisas, a primeira é a cena em câmera lenta do Mercúrio, ficou melhor e mais elaborada que a do filme anterior, mas de novo, é apenas uma cena “massa véio” do personagem resgatando todo mundo da Escola Xavier, enquanto ela é destruída pela explosão do avião dos x-man, espero que não usem mais esse recurso em filmes futuros, para não ficar banal demais, ou usem em cenas que agreguem conteúdo a história; a segunda coisa é a participação do Wolverine no filme, coisa que inicialmente nem estava programada e acabou sendo a melhor coisa do filme, pois acabou sendo adicionada a pouco tempo, literalmente a pouco tempo, pois a filmaram no começo deste ano, depois do filme inteiro já ter sido filmado e já estar na fase de pós-produção, a participação dele é basicamente refazendo a origem dele, mostrando Logan fugindo do programa Arma X, em 5 minutos de cena foi melhor e mais violento que os dois filmes do personagem, sem contar que o visual dele ficou quase que idêntico ao do quadrinho Arma X, é sensacional, pena que como concluem a participação dele é meio merda, com Jean ajudando ele a recuperar um pouco de memória. Ah, tem mais uma coisa que eu gostei, foi o visual da Psylocke que está idêntico ao dos quadrinhos, sensacional e a atriz Olivia Munn é linda demais, pena que esqueceram que ela tem os poderes de Telepatia e Telecinese foram totalmente esquecidos e só deixaram a adaga psiônica, que virou espada que corta coisas materiais. =/

Melhor coisa do filme. rsrs
Olivia Munn, googla lá!
( ͡° ͜ʖ ͡°)
Enfim, agora resta torcer para que a Fox não estrague o Deadpool no próximo filme dele, porque até o momento é o único filme que eles acertaram e eles poderiam aprender com esse acerto né? Pois está mais que provado que ser fiel ao material original e dar liberdade aos roteiristas e diretor é a melhor coisa à se fazer lá com eles, pois o filme do Mercenário custou pouco mais de 100 milhões de dólares (produção+marketing) e já rendeu mais de 800 milhões mundialmente, já tem os recordes de melhor retorno financeiro para filme de herói e é o filme de classificação para maiores de idade que mais arrecadou na história do cinema. Agora vá assistir o filme e tire as suas próprias conclusões, se você gostar, tudo bem, não te condeno ou recrimino, pois todo mundo que conheço e que gostou dos últimos filmes dos X-Men é porque não conhece a rica história dos personagens nos quadrinhos.

Nota para X-Men: Apocalipse: 1,9 de 5,0.

Nenhum comentário :

Postar um comentário