11 de dezembro de 2015

CCXP 2015 - Foi realmente épico?

Em 2014 ocorreu a primeira Comic Con Experience e foi um pouco antes dela que surgiu a frase e a hashtag "vai ser épico", frase que acabou sendo adotada pelos organizadores da convenção e muito usada por quem iria nela. E a CCXP foi algo realmente épico, mas não é porque foi épico, que quer dizer que foi perfeito, tiveram algumas falhas e decepções, mas nada grave ou que tenha diminuído a excelente experiencia vivida naqueles 4 dias em que foi realizada.

Graças ao grande sucesso da primeira edição, antes mesmo do fim já foi confirmado a segunda edição e em que data seria realizada a CCXP 2015 e mais uma vez a frase "Vai ser épico" foi adotada pelos organizadores. Parece que o 1 ano de espera passou voando e chegou a data tão esperada por muitos, lá fomos nós, nerds, geeks e amantes da cultura pop para o São Paulo Expo de 3 a 6 de dezembro, ver como seria a segunda edição do maior evento da cultura pop da América Latina e ver se seria algo realmente épico, ou se apenas foi uma jogada de sorte o sucesso da primeira edição.

Então, sem enrolações ou frescuras, posso dizer que a Comic Con Experience 2015 foi algo realmente épico mais uma vez, pois esse ano a convenção foi algo maior, melhor organizado, melhor estruturado e muito mais bonito que a edição de 2014, isso é bom demais, ter todas as suas expectativas superadas e ver que não foi apenas uma jogada de sorte a primeira edição.
As credenciais (ingressos) da CCXP 2015, uma das melhorias em relação a edição passada.
O QUE FOI RUIM

Vamos começar com o que foi ruim, afinal, o que é ruim sempre chega primeiro e é bom terminar com as boas coisas, a CCXP 2015 teve basicamente os mesmos problemas do ano passado, preços altos e em alguns casos abusivos nos estandes dos lojistas, eu cheguei a encontrar o mesmo produto, um Marty McFly da Hot Toys, com uma diferença de 500 reais entre uma loja e outra; na praça de alimentação a mesma situação, uns com um bom preço e outros abusando dele, se você fosse no restaurante Texas Grill você pagaria 40 reais para se servir a vontade com direito a sobremesa (frutas, doce de leite e teve um dia tinha uma mousse de maracujá), agora se você quisesse comer um temaki por exemplo, custaria 35 reais para comprar 2 temakis pequenos e um refrigerante; acredito que em relação aos preços abusivos a organização da CCXP não tinha o que fazer ou como controlar; outra coisa que pecou um pouco é a estrutura do SP Expo, que pelo tamanho dele e a quantidade de pessoas que comporta, tem poucos banheiros e poucos bebedouros (que por sinal, a maioria não estava funcionando), mas isso poderia ser resolvido pela organização do evento com mais banheiros biológicos (principalmente para as mulheres), colocar mais pontos de venda de água e controlar a venda para não ter abuso nisso também, 5 reais é caro para se pagar em uma garrafa de água de 500 mls, mas é algo que todo mundo está acostumado pagar em outros eventos ou em bares e baladas. Na maioria dessas coisas os organizadores não tem mesmo como controlar ou corrigir, outras é apenas uma questão simples de se corrigir, sobre a estrutura do SP Expo, ele está fazer uma reforma de ampliação, espero que após o termino dessa reforma, resolvam essas pertubações.

Minha carteira pós CCXP. rs
Agora tem uma coisa que com toda certeza a organização do evento poderia controlar e corrigir, pois o dono da Piziitoys que vende os principais itens exclusivos na CCXP é também sócio/dono da convenção, é questão apenas de não permitir que outros lojistas comprassem os itens exclusivos na quantidade limite permitida de cada item para ser vendido dentro da própria convenção, ou pelo menos separar um lote exclusivo para esses lojistas e impor o preço tabelado da convenção, pois é realmente frustrante ficar na fila de compra por mais de 3/4 horas, para chegar na sua vez e não ter mais o que se quer comprar (ainda bem que esse ano isso não aconteceu comigo), ai você sai andar pelos outros estandes e encontra aquilo que você queria na prateleira de venda de outra loja com um valor extremamente abusivo, um exemplo disso é a action figure baseado na versão "stealth" da Mark 3 do filme Homem de Ferro 1 feito pela Hot Toys que custava 1.500 reais na Pizii e achei em outra loja dentro da CCXP sendo vendida por quase 2.000 reais, é realmente muito chato isso acontecer, pois pode ser que esse mesmo item poderia ter sido comprado por um colecionador pelo preço correto/justo do evento, já não basta concorrer com quem compra para revender na internet (isso não tem como controlar mesmo) pelo dobro do preço que pagou na convenção, os colecionadores também tem que disputar com os lojistas a compra do item desejado, é muito chato mesmo.

O QUE FOI BOM


Comparação 2014-2015
Clique p/ aumentar
O que foi bom na CCXP 2015 é o que pode ser comparado com a CCXP 2014, primeira coisa é como foram distribuídos os ingressos da CCXP, ano passado após a compra do ingresso, foram enviados um tipo de recibo que precisou ser trocado na entrada pelo ingresso real, um trabalho que não precisavam ter tido, então esse ano foram enviados credenciais para quem comprou e já é o passaporte de entrada, ou seja, facilitaram a vida deles e de quem foi para a convenção; a segunda coisa é que na edição deste ano, tivemos mais espaço para os estandes e a praça de alimentação, digamos que no ano passado foi utilizado 2/3 do SP Expo, esse ano todo o centro de convenções foi utilizado com essa finalidade, o que proporcionou a montagem de estandes maiores para os expositores, o Artists' Alley também ganho mais espaço e consequentemente mais artistas estiveram lá este ano; a terceira melhoria foi no auditório principal que ganhou apoio do Cinemark (love u Cinemark. rs) para montagem e ganhou o formato Stadium, ou seja, este ano você não corria o risco de ter a cabeça de uma pessoa muito grande na sua frente atrapalhando a sua visão do que estava acontecendo no palco de apresentação, o que é um grande ponto a favor para o evento, afinal é o auditório onde são apresentados os principais painéis da convenção. 

Com o aumento dos espaços nos estandes e corredores de circulação do público, os expositores puderam organizar melhor o seu estande, colocando mais coisas e ainda sobrando espaço para andar dentro deles tranquilamente; com mais espaço nos corredores de circulação, a organização do evento já pode delimitar onde seriam montadas as filas de acesso de cada estande e sem que atrapalhasse a passagem de outras pessoas, coisa que ano passado em alguns momentos deu um pouco de dor de cabeça, ou seja, se tem mais espaço para todo mundo, tem-se a chance de tornar ainda melhor a experiência de cada pessoa na CCXP.
Com o sucesso do ano passado, os organizadores do evento ganharam moral com expositores de grande calibre, como por exemplo Warner e Netflix, que ao contrário do ano passado, quando tiveram estandes bem mais ou menos, este ano estavam com os melhores estandes da CCXP, pelo menos eu acho isso, a Warner Bros montou algo incrível lá dentro, trouxe os figurinos e itens usados nas filmagens de Batman Vs Superman: A Origem da Justiça, que até agora só tinham sido exibidos nas comic cons de San Diego e Nova York, as duas maiores do mundo, trouxeram também os figurinos do Arqueiro Verde e Canário Negro da série Arrow, além de outras partes interativas com o público, onde o visitante podia jogar alguns jogos da WB ou entrar em uma jaula parecida com a Harley Quinn do filme Esquadrão Suicida; o estande da Netflix tinha muita coisa também, figurinos usados nas séries do Demolidor e Jéssica Jones, um espeço interativo com um karaokê com as músicas tema das séries que são produzidas por eles.


Outra grande melhoria foram os convidados especiais e os artistas que vieram para a CCXP deste ano, pode ser que para mim nem todos eram tão famosos ou conhecidos, mas de modo geral são pessoas realmente mais importantes e conhecidos que os do ano passado, este ano de artistas de Hollywood tivemos Evangeline Lilly, a Kate de Lost e a Tauriel de O Hobbit (o mulher linda! rs); Misha Collins, o Castiel de SupernaturalJohn Rhys-Davies, o Gimli de O Senhor dos Anéis; Anna Popplewell, a Susana de As Crônicas de Nárnia; David Tennant (9° Doutor de Dr. Who) e Krysten Ritter (Breaking Bad e Jessica Jone) para divulgar Jessica Jone; Alfonso Herrera, Aml Ameen e Jamie Clayton do elenco de Sense 8, esses dois últimos foi por conta do Netflix (love u 2. rs); trouxeram também Steve Cardenas, que foi anunciado como o cara que interpretou o Power Ranger Vermelho do primeiro filme dos Rangers e dá série de TV, mas juro que não consigo lembrar dele na série, e eu assisti por muito tempo essa série, mas só lembro do Jason. rsrs A atriz Caity Lotz, a Canário Negro de Arrow, chegou a ser confirmada como uma das celebridades convidadas, mas teve que cancelar a sua participação devido a sua agenda de trabalho.


Agora na parte dos convidados famosos do universo dos quadrinhos é que foi a grande atração, tivemos o grande Frank Miller como convidado de honra da CCXP 2015, se você não gosta de HQs não deve conhecer, mas com certeza já ouviu falar, foi ele quem escreveu uma das melhores histórias do Batman já feitas, O Cavaleiro das Trevas, história que não só mudo como viam o Homem Morcego, mas mudou de modo geral como as HQs eram feitas, então é um cara que merece e muito o respeito, eu particularmente não gosto dos traços dele nos desenhos, consequentemente não gostei muito do poster oficial para a CCXP que foi desenhado por ele, mas o cara é uma lenda, tem que ser respeitado sim e não pode ser ignorado nunca. Tivemos outros grandes nomes do mundo dos quadrinhos como o desenhista  e Co-Editor da DC Comics Jim Lee, o Mauricio de Souza, que fez parte da infância da maioria de nós, Mike Deodato, Dan DiDio, Mark Waid, entre outros muitos, a lista dos artistas que estiveram presentes no Artists' Alley também foi bem maior que a do ano passado, enquanto na edição de 2014 foram 215 artistas, na edição deste ano tivemos 265 artistas nacionais e internacionais expondo os seus trabalhos, autografando desenhos e posteres, vendendo revistas autorais e independentes, um prato cheio para os amantes do mundo das histórias em quadrinhos.

Fora esses contra-tempos e situações chatas já mencionados, não há nada de grave para se criticar sobre a organização da CCXP 2015, há muito mais pontos positivos a se falar do que dos pontos negativos, ou seja, a convenção tem tudo que precisa para durar por muitos e muitos anos, fazer a alegria de muita gente por muito tempo, dar aquele tempo que as vezes é o único que a pessoa tem para ela ser ela mesmo, ir onde não vão te olhar torto ou feio por você não ser igual a todo mundo, afinal, lá todo mundo vai acabar encontrando alguém com o mesmo gosto e preferências, não é apenas uma convenção para os nerds e geeks, é uma convenção para todas as pessoas poderem e querem se divertir, confraternizar  tranquilamente e não se preocupar com rótulos que são impostos por grande parte da sociedade hoje em dia.

Ano que vem estarei novamente lá no São Paulo Expo, de 1 a 4 de dezembro, para a Comic Con Experience 2016, espero de coração que a cada ano ela se supere e me surpreenda cada vez mais, que se torne cada vez maior e melhor que o ano anterior, para quem sabe um dia se tornar a maior convenção do mundo ou que pelo menos se iguale em termos de importância com a maior do mundo, a San Diego Comic Con.

Em outros dois posts futuros, irei mostrar o que comprei de HQs e algumas outras aquisições que fiz durante a CCXP, só não vou colocar neste post porque ficaria muito maior que já está, serão os posts de aquisições/pick-ups de colecionáveis (veja aqui) e HQs (veja aqui), ah, vou fazer uma postagem somente com fotos, no blogger não da para criar uma galeria de fotos ou eu não sei fazer. rsrs

Nenhum comentário :

Postar um comentário