16 de novembro de 2015

JÁ LEU Homem-Aranha Azul?

Acho que grande parte dos fãs do Homem-Aranha (HQs por favor, porque dos filmes, só os dois primeiros do Sam Raimi que tem algo que presta), é fã dele pois se identifica com o personagem e sabe que a grande maioria das história do herói não é sobre o Homem-Aranha que nas horas vagas é Peter Parker, é na verdade a história de vida de Peter Parker que nas horas que precisa, é o Homem-Aranha.

E em Homem-Aranha Azul não seria diferente, basicamente é uma história em que o Amigão da Vizinhança é apenas o coadjuvante, que aparece apenas para ser um brinde e trazer um pouco de ação para a história que é inteiramente narrada por Peter Parker e é inteiramente focada nele e no seu relacionamento com Gwen Stacy, não é à toa que essa história é um dos grandes clássicos e também uma das melhores histórias do Aranha que já li.

A sinopse é a seguinte "Gwen Stacy foi o primeiro amor de Peter Parker. Mas, durante boa parte de sua vida, ele se dividiu entre ela e Mary Jane, sua vizinha. Apesar da dor da perda de Gwen e do casamento com MJ, Peter nunca esqueceu aquele romance da adolescência, e nem pretende! Afinal, entre lutas com o Duende Verde, confusões com o Rino e a implicância de seus colegas de turma, Peter Parker, o Homem-Aranha, viveu um grande amor.", essa história foi relançada em encadernado pela Salvat na coleção Graphic Novels Marvel, aquela coleção de 60 números que não saem na ordem dos números da lombada do encadernado.

Nessa história escrita por Jeph Loeb e desenhada por Tim Sale, dupla que já tinham feito trabalhos memoráveis em Hulk Cinza e Demolidor Amarelo pela Marvel e também em Batman: O Longo Dia das Bruxas pela DC, vemos um Peter Parker mais velho e maduro, já casado com Mary Jane, gravando uma mensagem para Gwen Stacy, que morrera anos antes por causa de um confronto com o Duende Verde, nessa gravação Peter vai relembrando como conheceu Gwen, como se apaixonou por ela e como foi difícil para ele conseguir se aproximar dela e dizer que a amava.

Ele relembra todas as dificuldades que teve, todos os problemas que a vida dupla dele causou e como tudo isso atrapalhou ou o influenciou na sua vida pessoal, mas que mesmo com todas essas dificuldades, ele se alegra de ter conseguido conquistar o amor da vida dele e que ele tinha certeza de que tinha achado o tão procurado "felizes para sempre" que todo mundo deseja, mas que não imaginava que o felizes para sempre dele duraria tão pouco tempo, que a história do "até que a morte os separe" seria mesmo após muitos anos e que não como foi.

De plano de fundo vemos uma trama se desenvolver que envolveu alguns dos mais conhecidos inimigos do Homem-Aranha, tais como Duende Verde, Rino, Lagarto e Abutre, aparentemente aparecendo de forma aleatória e sem ligação alguma, mas a verdade é que tudo isso não passava de um plano muito maior e bem elaborado para testar as habilidades e tentar encontrar pontos fracos do Teioso, para que no final Kraven - O Caçador aparecesse e se revelasse o autor de todo esse esquema, que tudo não passou de um teste para ver se o seu alvo era digno de ser caçado por ele, que era o maior caçador do mundo.

Peter termina falando que mesmo tendo passado muito tempo achando que nunca mais iria conseguir amar, com o passar do tempo ele conseguiu encontrar um novo amor, mas que ela seria sempre o seu primeiro grande amor e que nunca irá esquecer dela, que sempre vai lembrar da garota de sorriso fácil e coração de ouro, que o ensinou que mesmo com todas as dificuldade, a vida pode ser maravilhosa.

Essa é uma daquelas histórias que te faz pensar um pouco, pensar em como lidamos e suportamos com a perda de um ente querido e pensar também sobre o que aprendemos com as situações pelo que passamos na vida, é uma boa história sobre amor e perda, algo que todos nós já passamos um dia e que vamos passar muitas vezes na vida, isso que torna o Peter Parker tão querido pelos fãs, porque as boas histórias dele sempre da para fazer uma comparação com a nossa vida, mesmo que ele seja apenas um personagem ficcional, em alguns momentos podemos nos espelhar nele.

Homem-Aranha: Azul é leitura obrigatória para todos os fãs do Cabeça de Teia, além de ser uma linda história e que apresenta uma bela lição de vida, que mesmo perdendo alguém importante, independente da forma que ocorra, o que vale mesmo é guardar as lembranças desse alguém e que apenas nos resta é a saudade e as lembranças, que temos que lidar com isso da melhor forma possível. Depois dizem que histórias em quadrinhos não tem nada a ensinar para quem lê.

Não sei você vai conseguir achar uma edição nova desse encadernado, em todos os lugares que pesquisei está com a mensagem de "esgotado" ou "indisponível", mas vá atrás desse encadernado, porque vale muito a pena ter na coleção essa história.

Nenhum comentário :

Postar um comentário