19 de novembro de 2015

1ªs IMPRESSÕES de Supergirl e Into The Badlands.

Todo ano aparecem uma avalanche de novas séries para assistirmos, são séries de todos os tipos e gostos, algumas comédias batidas que na maioria das vezes nunca duram muito tempo; aquelas dramas que acaba envolvendo médico ou advogado, outras tentam partir para as séries policiais, que o personagem principal é sempre alguém muito inteligente e/ou problemático; e no meio de tudo isso sempre aparece alguém que resolve sair da cartilha básica de criação de novas séries da TV, ai acabamos vendo um Breaking Bad, um The Walking Dead e agora a nova onda de séries de super-heróis.

Tem gente que consegue acompanhar quase tudo que estréia, além das séries que acompanha normalmente, eu não tenho mais muita paciência de acompanhar tudo que vai sair de novo, na verdade, não gosto de começar algo e acabar não vendo o final ou não tendo um final propriamente dito (Constantine é um exemplo.) porque acabou sendo cancelado logo na primeira temporada antes mesmo de completar a primeira temporada, então sempre acabo esperando terminar as temporadas das séries que costumo assistir, ai sim vou atrás de algo novo para ver naquele intervalo do ano que normalmente só tem o Game of Thrones para assistir, mas dessa vez fiquei curioso de ver 3 novas propostas, Lúcifer (Fox), Supergirl (CBS) e Into the Badlands (AMC). Sobre Lúcifer, aqui está a minha impressão sobre a série: LIXO, não assista isso, então vou falar das outras duas, pois delas da para tirar algo bom para se ver.

INTO THE BADLANDS (Estreou em 15/11/2015, Canal AMC, trailer)

Tem como enredo: "Em uma terra controlada por Senhores Feudais, Badlands conta a história de um bravo guerreiro e um jovem que embarcam em uma jornada rumo a um lugar cheio de perigos, para buscar conhecimento e iluminação.", série de ação com artes marciais, um futuro em que o mundo foi arrasado por diversas catástrofes naturais causadas pelo homem, este novo mundo está divido em feudos e que são controlados por 7 barões.

A série se baseia no conto chinês Jornada ao Oeste ( 西|遊|記 ), tem produção de Miles Millar e Alfred Gough, que anteriormente produziram juntos Spider-Man 2 e Smallville, tem como protagonista o ator Daniel Wu, astro em filmes de artes marciais na China, será divido em 6 episódios e serão exibidos no pelo canal AMC.

Eu particularmente gostei do primeiro episódio, tem alguns pontos fracos por acabar em alguns momentos acabar sendo clichê demais no roteiro como o filho que quer ocupar o lugar do pai no poder, o jovem pacato que esconde um grande talento, mas o que mais me agradou mesmo é que a série é uma grande homenagem aos filmes de artes marciais, logo no primeiro episódio nota-se essa intenção fazendo uma cena na chuva parecida com do filme O Grande Mestre, a maioria das coreografias de luta são bem trabalhadas pelo fato do protagonista ser um ator experiente, assim passa uma boa impressão de veracidade nas lutas, legal também é ver que mesmo nesse futuro sem armas, há máquinas e veículos motorizados, misturados a situações que parecem tiradas da época medieval, então da a entender que não há mais uso de armas de fogo por escolha dos barões e do povo, pois tecnologia para isso ainda existe.

Espero que nos próximos episódios a série fique ainda melhor ou que pelo menos mantenha a qualidade apresentada no primeiro episódio dessa curta temporada.


SUPERGIRL (Estreou em 26/10/2015, canal CBS, trailer)

O enredo da série: "Kara Danvers, ou Kara Zor-El, a prima do Superman. Kara chega à Terra aos 12 anos, depois de partir do planeta Krypton, e é adotada pela família Danvers - que a ensina a ser cuidadosa com seus poderes. Depois de represar suas habilidades por uma década, Kara é forçada a mostrar seus dons em público, durante um desastre inesperado. Motivada por seu heroísmo, ela começa a abraçar sua vocação para ajudar as pessoas de sua cidade.", muito legal ver que as séries de aventura/ação que tem mulheres como protagonistas estão voltando a ter espaço na televisão, o que é muito bom de se ver.

A série é mesmo destinada ao público feminino, pois tudo nela praticamente grita "olha, isso aqui é para você guria, me assista!", só que para um público mais infantojuvenil, pois tem uma trama mais leve e que trata problemas pessoais da personagem principal, de relacionamentos e dos problemas que ela tem que enfrentar, além do supervilão da semana. Fazendo uma comparação rápida, a trama se divide entre como ela lida com a sua vida pessoal e o trabalho em uma revista que tem um chefe chata, algo parecido com Diabo Veste Prada; com a vida de super-heroína recentemente iniciada após muitos anos escondendo quem ela é de verdade e não fazendo uso dos poderes que possui.

Os efeitos especiais são um dos pontos positivos da série, pois para algo feito para a televisão são muito bem feitos, algo que agrega e muito na hora das cenas de ação, um ponto negativo é que parece que vai seguir aquele roteiro básico de Smallville, ou seja, a cada episódio um novo supervilão para Kara enfrentar, ah, outro ponto negativo é começo do episódio, só que é um ponto que estão em praticamente todas as série baseadas em um personagem da DC, que é começar o episódio com o chato "Meu nome é blá-blá-blá...), isso poderia ser retirado tranquilamente.

Até agora só assisti o primeiro episódio, mas vou voltar a assistir e ver como que vai ser com o passar do tempo, se consegue manter a qualidade do primeiro episódio e corrigir os poucos erros que tem.

Nenhum comentário :

Postar um comentário