19 de maio de 2015

FUI VER Mad Max: Estrada da Fúria... What a lovely day!

Depois de 30 anos de espera, finalmente saiu a continuação de Mad Max: Além da Cúpula do Trovão de 1985 que foi o terceiro longa da história do ex-policial "Mad" Max Rockatansky, na época interpretado pelo ator Mel Gibson. Digo finalmente porque esse filme teve alguns problemas que fizeram as filmagens atrasarem e é claro a demora para o diretor George Miller, que é diretor, co-roteirista e produtor de todos os 4 filmes, resolver continuar a história do Max, e é mesmo uma continuação, não é um reboot ou refilmagem que hoje em dia está tão na moda em Hollywood, porque é isso que temos hoje em dia, um filme de reboot ou refilmagem de algum filme antigo quando não é uma adaptação de alguma HQ ou livro, não que isso seja ruim, mas é bom ver um velho clássico com uma cara nova mas continuando de onde parou!

"Após ser capturado por Immortan Joe, um guerreiro das estradas chamado Max se vê no meio de uma guerra mortal, iniciada pela Imperatriz Furiosa na tentativa se salvar um grupo de garotas. Também tentanto fugir, Max aceita ajudar Furiosa em sua luta contra Joe e se vê dividido entre mais uma vez seguir sozinho seu caminho ou ficar com o grupo.".



Olha, confesso que após aquela bela merda do Homem de Ferro 3 que tinha trailers sensacionais e que prometiam ser O Melhor filme da Marvel de todos os tempos e foi aquela tremenda merda, eu aprendi a não me empolgar demais quando um trailer de um filme é muito bom e me deixa com a impressão de que vai ser um puta filme, então quando o primeiro trailer do novo Mad Max saiu e foi um trailer lindo e que de cara pensei comigo "puta merda, esse filme vai ser bom demais!", mas logo em seguida lembrei do HdF3 e automaticamente baixei o meu nível de empolgação. Mas olha só  que coisa, depois de assistir o Estrada da Fúria e lembrar dos trailers, nussasenhora, nesse caso não houve propaganda enganosa, muito pelo contrário, o filme é tudo o que prometeu e é até muito mais.

Carro de Som usado pelos
mutantes durante as perseguições
de carro.
É ação do começo ao fim, cenas de perseguição de carros incríveis que faz parecer o que tem em Velozes e Furiosos coisa de amador e mal feito, o melhor é que não é feito com computação gráfica, tudo efeito prático, ou seja, quando você vê um carro ou caminhão capotando, algo explodindo, tudo aconteceu de verdade, tem também algumas coisas feitas em CG sim, mas o que é feito em CG é só para finalizar o ambiente e o cenário, mas todo o resto não, o deserto que aparece no filme é deserto mesmo, o filme foi filmado na África, todos os outros três filmes foram filmados no deserto da Austrália, mas dessa vez não foi possível filmar lá pois choveu mais do que o esperado e o que era deserto, acabou virando uma vastidão de campos verdes, por isso a mudança de local das filmagens. A escolha de se usar efeitos práticos parte do diretor George Miller, que prefere usar as antigas técnicas de filmagem, como era feito na época dos primeiros filmes, tudo isso na casa dos 70 e poucos anos, ele da uma aula para os diretores da nova geração de como deve ser um filme de ação, não é ação sem sentido e que acontece sem motivo algum, como tem num certo filme de carros robotizados e na maioria dos últimos filmes de ação da última década no mínimo. 

A troca do Mel Gibson pelo Tom Hardy foi certeira, o cara não faz uma imitação da interpretação do que o já vimos e nem faz algo que descaracteriza o personagem, o Max Rockatansky dele é quase tão louco e calado quanto o do Mel Gibson, ele além de sofrer com a morte da esposa e filha, também sofre por aquelas pessoas que ele não conseguiu salvar ao longo da vida e ficam como fantasmas que nunca o abandonam, o assombrando e perturbando os seus pensamentos. E Hollywood sempre tenta deixar a Charlize Theron feia, mas não tem como, a personagem dela a Imperatriz Furiosa é careca, não tem um braço, no lugar ela tem uma prótese mecânica na parte do braço e da mão que falta, está sempre com a cara pintada, enfim, a mulher é linda demais! Furiosa é uma personagem muito boa, de personalidade forte, esperançosa e  que por isso contrapõe Max.


O legal de ter o retorno do diretor George Miller para a franquia é que não houve mudanças do que tínhamos nos primeiros filmes, além do mais, o filme é quase tão bom quantos os outros e prova que o Sr. Miller ainda sabe como lidar e tratar esse futuro pós apocalíptico a tantos anos atrás, ao contrário do que vimos em Prometheus, que tivemos o retorno do diretor e roteirista Ridley Scott à franquia Alien, ele que por sinal foi quem criou aquele universo mas que não conseguiu se sair tão bem quanto nos filmes anteriores, que é uma pena, não que Prometheus seja um filme ruim, ele só não tão bom assim como um Alien O Oitavo passageiro, ainda mais que foi um filme prelúdio. Outra coisa que alegra ver no George Miller é que ele mesmo tendo feito nos últimos anos filmes mais voltados para crianças como Babe: O Porquinho Atrapalhado e Happy Feet 1 e 2 (aquele dos pinguins que cantam e dançam...), o homem não perdeu a mão e nos entrega um puta filme de ação, com uma história muito boa, com cenas de ação incríveis, sem frescuras, sem aquela besteira que temos em muitos filmes de ação como a necessidade de se ter um momento de romance barato ou aquele discurso motivacional e encorajador do "herói" antes da batalha final e principalmente sem a modinha da necessidade do plot twist para tentar gerar aquele momento de surpresa, nada disso, o filme é bom da forma que é, simples, cru, violento, direto e sincero.

Agora eu estou torcendo muito para que tenhamos mais filmes dessa nova fase de Mad Max, porque seria uma pena parar somente nesse, digo isso porque eu fui na dia da estréia do filme e a sala estava praticamente vazia, tinha no máximo umas 30 pessoas, espero mesmo que lá nos EUA ele esteja indo bem e que a bilheteria lá faça muito dinheiro, porque não adianta quase nada fazer muito dinheiro fora de lá, pois o que conta para os diretores dos estúdios de cinema é o mercado americano.

Enfim, vá assistir Mad Max - Estrada da Fúria porque eu tenho certeza que você não vai se arrepender, ah, a trilha sonora do filme é igualmente sensacional!

Confere ai o trailer: